Breve histórico do Seguro e da Atuária no Brasil e no mundo

A Wikipédia tem texto suficiente para dar a ideia de um 'contexto geral' sobre a história da Atuária e está dividida em 3 artigos (que não são iguais):

Em aula, basicamente, se escutam 3 histórias que recriam a história do seguro:
  1. Na Babilônia, 23 seculos antes de Cristo, os mercadores que cruzavam longas distâncias a camelo eventualmente perdiam algum camelo ao longo de suas viagens. Perder o camelo, nessa situação, significava um grande prejuízo. Para reverter isso, os cameleiros se juntavam e combinavam que, no caso de alguém perder o seu camelo, receberia dos outros o valor perdido.
  2. No Código de Hamurabi era previsto que os navegadores fizessem associações para que caso alguém perdesse seu navio, recebesse apoio dos outros.
  3. Nas Grandes Navegações, os navegadores faziam contratos para que, caso alguém perdesse a sua carga, fosse ressarcido pelos outros.
Procurando pelo assunto, encontrei ESSE SITE(CLIQUE AQUI) que tem uma lista de outras situações em que esse tipo de "ajuntamento" foi feito para amenizar as perdas uns dos outros.

Quanto ao chamamento "Atuário", era a palavra usada para se referir à pessoa que documentava os diálogos no antigo Senado Romano. Depois, passou a ser usado para designar os escrivães que documentavam os nascimentos e as mortes da população. 

No Brasil, a primeira Companhia de Seguros se formou em 1808, com a chegada da família real, e se chamava Companhia de Seguros Boa Fé. O mesmo SITE QUE EU ME REFERI ANTES também tem um resumo da história do seguro no Brasil.

Abaixo um vídeo que explica resumidamente a ideia do seguro e o motivo do nascimento das técnicas de Atuária:


Paztejamos

Nenhum comentário:

Postar um comentário