Fundamentos Técnicos do Seguro

Os Fundamentos Técnicos do Seguro são os princípios que dizem que o seguro é válido, que está sendo guardada uma quantia razoável, que se está levando em conta de maneira correta os valores, etc. Porque, quando a gente vai fazer um seguro pro carro, o corretor não sai dizendo assim "ah, paga aí uns 1000 reais e tá segurado". Ele anota várias informações sobre o condutor, sobre o segurado, sobre o objeto do seguro e aí tem todo um cálculo que é feito por trás para que o prêmio do seguro seja razoável com aquelas condições. Esses cálculos quem faz é a Área Técnica da seguradora, e pra fazer esses cálculos, a área técnica leva em conta os tais fundamentos técnicos. São eles:

  • Cálculo das Probabilidades: É a ideia de que dá pra prever a ocorrência de um sinistro baseado em exemplos das estatísticas do passado. Ajuda a calcular o valor do prêmio, já que a soma dos valores dos prêmios tem que no mínimo suprir os sinistros que vão acontecer.
  • Princípio do Mutualismo: O princípio do Mutualismo é o que se presume quando há Mutualismo (sendo que Mutualismo é uma Característica do Seguro). A ideia é que a seguradora, ao fazer o seguro, presume que todos os segurados são solidários entre si. Isso faz com que a seguradora presuma que "uns pagam pelos outros". Ou seja, se eu não sofrer sinistro, o valor do meu prêmio ajuda a pagar o sinistro que o outro segurado, mais azarado que eu, sofreu.
  • Lei dos Grandes Números: Se eu tenho apenas um segurado e ele sofre sinistro, eu vou dizer que a porcentagem de sinistros por segurado é 100%. Se eu tiver 3 segurados e dois deles sofrerem sinistro, posso dizer que a porcentagem é de 66%. Porém, com poucos segurados, eu tenho pouca capacidade de prever a quantidade correta de sinistros por segurado. Se eu tiver 1000 segurados, pode ser que assim eu consiga determinar com melhor precisão o número de sinistros por segurado. Dessa forma, a Lei dos Grandes Números diz que, quanto maior a minha amostra, mais próximo do resultado real eu estou. Ou seja, se eu tender o meu número de segurados ao infinito, vou ter o valor real de sinistros por segurado. Os seguros só funcionam se baseados nesse fundamento, porque se não, eu não tenho capacidade de fazer estatísticas razoáveis para calcular os valores dos prêmios, e assim perco o primeiro princípio também.
Paztejamos

Nenhum comentário:

Postar um comentário